De portas abertas para todos os públicos

Centro de Memória Dorina Nowill atende a diferentes públicos e reforça a importância da evolução e a tecnologia como aliada à inclusão.

Fotografia colorida de bancada do Centro de Memória Dorina Nowill. Há um painel com textos diversos e uma bancada com vários itens relacionados à acessibilidade.

Estudantes, pesquisadores, professores, turmas escolares e interessados em saber mais das histórias e perspectivas sobre a luta das pessoas cegas ou com baixa visão no Brasil têm um lugar especial para adquirir conhecimento. O Centro de Memória Dorina Nowill é um espaço cultural de história, aprendizado e inclusão. Acessível para pessoas com deficiência física e visual, o local recebe visitas para a exposição “E tudo começou assim: ações, projetos e histórias que mudaram a vida das pessoas com deficiência visual”, mediante agendamento prévio.

A visita é ajustada aos diferentes públicos que a instituição recebe: crianças, jovens, adultos com ou sem deficiência e, durante o trajeto, os visitantes são levados por uma viagem sensorial que inclui interatividade, participação, recursos sonoros, olfativos e auditivos. Além disso, parte do roteiro pode ser feita com os olhos vendados e há o auxílio de educadores culturais e também uma maquete tátil.

Os textos da exposição e legendas das peças expostas contam com versão em Braille e fonte ampliada e a visita também percorre parte da Fundação Dorina e é possível conhecer uma gráfica de materiais em Braille, por exemplo, onde são produzidos milhares de livros que irão levar mais conhecimento e cultura a pessoas com deficiência visual em todo o Brasil.

Os professores interessados podem agendar suas turmas escolares para uma visita educativa gratuita ao Centro de Memória Dorina Nowill.

Agendamento prévio
Telefone (11) 5087-0955 ou e-mail centrodememoria@fundacaodorina.org.br
Endereço: Rua Doutor Diogo de Faria, 558 – Vila Clementino / SP (próximo à estação de Metrô Santa Cruz)
Funcionamento: Segunda a sexta-feira, de 8h às 18h